Rede social

Lembro bem quando comecei a acessar blogs de moda. Foi em 2008, quando quase ninguém falava sobre isso. Lembro de indicar alguns blogs para as minhas amigas e algumas rirem, achando meio “brega”. Hoje quase todo mundo sabe da relevância dos blogs e a maioria acompanha pelo menos um.

O que eu mais gostava naquela época era o fato de serem meninas “normais” falando de moda de um jeito mais acessível. Elas conseguiam passar as tendências e várias dicas de uma forma muito familiar e com marcas que poderíamos comprar. Naquela época, já havia um interesse pela vida da blogueira. O que ela fazia, onde trabalhava, para onde viajava. Mas era um interesse normal por uma pessoa que você admira e quer conhecer melhor.

De lá para cá, as coisas mudaram muito. As blogueiras se tornaram tão famosas quanto os artistas globais, recebem muito dinheiro pelo que fazem e muitas passaram a usar, quase que majoritariamente, apenas roupas de grife. Além disso, a vida delas se tornou um reality show permanente. É o tempo todo mostrando sua vida no instagram, snap, vlogs inifnitos e etc.

A vida delas é acompanhada em tempo real por milhares de seguidores. Já até mesmo cheguei a ver uma blogueira ser rechaçada por vários seguidores, quando ela diminuiu a frequência de vídeos no youtube. Uma cobrança ferrenha em cima de uma pessoa que tinha acabado de passar por um divórcio e estava com depressão.

Eu criei meu blog no final de 2014, mas apenas em 2015 o tornei público. Logo, sou bem novinha neste papel de blogueira. Hoje depois de assistir ao filme “Amor.com”, fiquei pensando sobre isso. O principal produto de uma blogueira (ressalte-se que estou falando, em especial, sobre as blogueiras de moda) é a vida dela. Ela vende o estilo de vida, os lugares onde frequenta, as coisas que come. Aquele interesse genuíno de passar uma informação foi dando cada vez mais lugar para uma exposição que, na minha opinião, se tornou sem limites.

Confesso que eu como blogueira muitas vezes me sinto um peixe fora d’água, porque o que quero passar são dicas, reflexões, ensinamentos sobre moda e como usar bem seu guarda-roupa. Enfim, quero passar conteúdo, mas não sei bem se há espaço para isso. Quando peço sugestões de assuntos, o que mais é pedido são vídeos mostrando minha casa, minhas roupas, minha coleção de makes ou de sapatos e por aí vai. Acho comum essa curiosidade, porque também tenho com relação às pessoas que sigo. Mas fico um pouco triste, pois parece que o interesse das pessoas se resume a isso.

Eu optei por manter uma linha mais reservada, embora já tenha exposto algumas dessas coisas que mencionei acima. Mas entenda, eu exponho o que me sinto bem. Não quero começar a mostrar detalhes da minha vida apenas para ter mais seguidores ou para ter uma imagem. Quando estou numa sexta de noite com o meu marido, quero estar com ele. Se estou em um final de semana, quero estar com a minha família. Não quero ter que mostrar tudo para as pessoas saberem o quanto sou feliz ou o que estou fazendo. Por que essa necessidade? Elas não poderiam também estar aproveitando o seu próprio final de semana? Sei que muitas das pessoas que se expõem se sentem bem ao fazer isso. Mas eu me pergunto: será que ela se sente bem o tempo todo? Será que é saudável ela mostrar tanto da sua vida particular? Será que ainda assim consegue ser ela mesma ou cria uma personagem?

Eu sei lá… Acho que tem que ser algo que faça sentido para a pessoa. Por enquanto, para mim não faz. E pode ser que eu mude com o tempo. Ou quando eu tiver mais tempo rs. Hoje eu mostro o que eu me sinto à vontade para mostrar. Eu já pensava muito sobre isso e às vezes fico muito confusa com o que se espera de mim e o que desejo oferecer aos que me acompanham. Mas depois de assistir ao filme resolvi compartilhar essa reflexão. Ah, diga-se de passagem que achei o filme bem fraco, apesar de várias blogueiras terem elogiado. E até isso eu me pergunto: será que foram sinceras quanto às suas opiniões?

Bem, assim vou fazendo o que faz sentido para mim e tentando achar meu espaço nesse mundo dos blogs. Mas que mesmo sendo blogueira tenho muitas dúvidas, isso eu tenho. Acho que o importante é a pessoa ser sincera e autêntica seja mostrando muito ou pouco.

Com carinho!

Thais

Share: