caminho

Semana passada tivemos a triste notícia de que o cantor Cristiano Araújo e sua namorada faleceram em um acidente de carro. Acho que todos ficaram muito chateados. Eu, particularmente, não conhecia o cantor e nem suas músicas. Mas isso não impediu que eu ficasse arrasada com essa morte tão prematura. Sabe, eu sempre fico muito mal quando ouço histórias de pessoas que morreram novas. Não sei te explicar, mas fico um tempão pensando nisso. E quando fico assim, sempre começo a refletir muito sobre a vida.

É impressionante como muitas vezes com a falsa ideia de que vamos viver muito (e que Deus nos ajude nisso), desperdiçamos nossos dias com tantas besteiras. Nos chateamos com coisas bobas, discutimos com nossa família por situações irrelevantes, vivemos anos guardando mágoa de pessoas que nos feriram. E de repente, a vida se esvai em um piscar de olhos. Isso tudo me faz pensar em como tornamos nossa vida pesada com frustrações de sonhos não concretizados, amores não realizados. Esquecemos de aproveitar o tempo que Deus destinou para nós aqui.
Há um tempo atrás, minha mãe ficou doente. Eu estava muito preocupada, porque ela estava mal e não conseguíamos descobrir o que ela tinha. E um dia, eu estava no culto e comecei a ficar com uma angústia no peito, um desespero. Saí direto do culto para a casa dela e era um desespero que não consigo explicar. Comecei a chorar com muito medo de perde-la e quando entrei na casa, saí correndo para vê-la e quando a encontrei desabei em prantos. Quem me conhece, sabe que dificilmente choro (a não ser quando oro, que choro sempre hehe). Eu sentia uma angústia só de pensar em perder a minha mãe. Quando a abracei, ela ficou preocupada e meu pai desceu correndo achando que tinha acontecido alguma tragédia. Naquele dia pedi perdão por todas as vezes em que fui desobediente ou a magoei. Quando eu era adolescente brigávamos muito e mesmo depois de adulta, havia situações em que eu perdia a paciência com ela, porque somos muito diferentes. Naquele dia, passei a tentar ser o mais tolerante possível com ela e relevar tudo que não valesse a pena.
Tento fazer isso, sempre dizendo a minha família que os amo e abraçando e beijando o máximo que puder. Tento declarar verbalmente a minha gratidão para que eles saibam o quanto aprecio tudo que fizeram e fazem por mim.

É triste ver em alguns enterros pessoas desesperadas a ponto de querer perder sua própria vida, quando algum ente falece. Temo que na maioria das vezes a pessoa se desespera por remorso, pois não há mais tempo de dizer “Eu te amo” ou “Me perdoa”. Acabou! Já era! Isso é muito triste mesmo. Uma vez li no instagram de alguém que o aeroporto era cenário de beijos mais apaixonados do que casamentos e hospitais ouviam orações mais sinceras do que igrejas. Isso porque as pessoas só valorizam aquilo que estão a ponto de perder ou já perderam.
Por isso, nunca deixe para amanhã aquilo que você pode fazer hoje. Não leve mágoas nas costas e nem guarde sentimentos bons que podem ser compartilhados. E o principal de tudo, se relacione com Jesus, pois no dia que chegar nossa hora, não morreremos, mas poderemos nos encontrar para sempre com o nosso amado Pai.

Que a dor de momentos de perdas seja para nos ajudar a ver aquilo que realmente importa em nossas vidas.

Beijo carinhoso!

Share: