estudo

Oi amores,

Tudo tranquilo?! Hoje vim aqui falar de um assunto que nada tem a ver com moda, mas que sempre me questionam.
Que eu moro em Brasília e estudo para concursos seria chover no molhado, certo?! Mas hoje vim contar um pouco da minha história com os concursos e te ajudar a não cometer os mesmos erros que eu tive nessa caminhada.

Se prepara que lá vem história…

A história toda começou em 2007 quando fiz meu primeiro cursinho para concurso. Na época, fui motivada pelo meu pai e eu aceitei o desafio. Eu estava com 20 anos e estava no meu último ano de faculdade. Então confesso que a única coisa que eu fazia era ir para o cursinho e prestar bastante atenção nas aulas. Mas tirando isso, nada mais. Eu não revisava o conteúdo, não fazia exercícios e quando ia estudar em casa (o que raramente eu fazia), estudava português e alguma outra disciplina que eu gostasse. Resultado: obviamente não passei.

Quis dar um tempo disso porque queria me formar e me dedicar à monografia. E além disso, também trabalhava. Mas 1 ano e meio depois, eu já tinha me formado e estava na segunda graduação. Vi que meu futuro profissional não seria muito promissor e eu nāo gostava muito do que fazia. Ou seja, me imaginei uns 5 anos depois uma profissional infeliz. Conversei com o meu irmão que já era concursado e ele me falou sobre os benefícios da carreira pública. Foi nesse momento que decidi que seria uma servidora pública federal.

Voltei a estudar para concursos no final de 2008 e dessa vez tranquei a faculdade. Mas fazia cursinho de manhã, trabalhava de tarde e estudava nos dias da tarde em que eu não dava aula e alguns dias à noite. Meus resultados vieram depois de 10 meses quando passei em 3 concursos do Executivo. Acabei escolhendo ir para o Ministério do Planejamento.

Embora já estivesse em um órgão público continuei estudando até fevereiro de 2011. Mas como era o ano do meu casamento, resolvi dedicar o resto do ano para curtir a vida nova de casada. Há momentos na vida que pedem uma pausa. Eu pelo menos vejo assim. Em janeiro de 2012 voltei a estudar e escolhi o TSE como foco, quando vi que estava cometendo erros tão elementares, que se eu não mudasse a rota, iria morrer no Ministério. Sem desmerecer o órgão, mas eu sabia que na carreira pública o Executivo era o que mais se trabalhava e menos dava benefícios e menos valorizava o servidor. Sem falar que a maioria das pessoas com quem trabalhei, eram pessoas mais velhas e muito frustradas de ainda estarem lá.

O que eu percebi na época é o que vou compartilhar com você agora:

1 – Eu só estudava para os concursos quando saia o edital

Dificilmente uma pessoa passa em um concurso muito bom estudando só quando sai o edital, tirando as pessoas que têm uma inteligência acima do normal. Conversando com pessoas e procurando depoimentos de quem já tinha passado no Judiciário e Legislativo percebi que elas tinham uma rotina de estudo contínua. Mesmo que estudassem somente 3 horas por dia, elas estudavam todos os dias. Já eu estudava como uma louca nos 3 meses que antecediam o concurso, mas quando passava a prova, parava de estudar. Nisso eu perdia muito tempo. Gastei 3 anos fazendo isso. E ficava chateada a cada reprovação. Puro engano!
Então se você quer estudar para concurso e passar, crie uma rotina de estudos. Comece com poucas horas até alcançar o seu máximo de horas de estudo COM QUALIDADE. Mas estude todo dia.

2 – Eu fazia poucos exercícios

Percebi que as bancas seguem uma linha de raciocínio e geralmente perguntam a mesma coisa. Se você fizer muitas questões de qualquer disciplina, você verá muitas perguntas repetidas. Isso te deixa familiarizado com a forma como a prova te cobrará o conteúdo. Além disso, os exercícios são ótimos indicadores de como está o seu rendimento. Por exemplo, ao final de uma bateria de exercícios, meça o seu aproveitamento de acertos. Se você tiver acertos acima de 80%, significa que você está assimilando bem a matéria. Eu digo 80%, porque a maioria dos concursos de ponta, você precisa ter essa nota na prova. E se for o CESPE, na apuração da nota, eu desconto os meus erros, já que essa banca desconta um ponto certo para cada erro.

3 – Fazia resumos tão grandes que nunca revisava

Se o seu resumo ficou perfeito, com todas as informações, seu resumo não prestará. O resumo com todas as informações fica tão grande, que você nem terá coragem de revisar. Um resumo precisa ter as palavras-chaves, os bizus e nada muito além disso. Hoje eu nem faço mais resumos. Faço mapas mentais, pois são mais fáceis de revisar.

4 – Pulava de concurso igual macaco de galho em galho

Não adianta. Você precisa decidir qual carreira quer seguir. A carreira do judiciário é totalmente diferente da de auditor, que é totalmente diferente da carreira do Legislativo. Eleja um alvo e estude para ele e somente ele. Não significa que você não possa fazer outras provas. Mas as disciplinas que você vai se programar para estudar serão somente aquelas do concurso que você escolheu.

5 – Estudava com materiais ruins

Passei todo esse tempo estudando somente com material em pdf. Existem matérias e professores que possuem materiais muito bons. Mas cansei de ir para prova e perguntarem coisas que eu nunca havia ouvido falar a respeito. Comprei vários pdfs em que o professor em alguns pontos da matéria só pincelava. Daí quando ia fazer a prova, o que mais tinha caído? Triste isso… Minha primeira iniciativa em 2012 foi investir em livros de autores renomados para sanar minhas dificuldades nas disciplinas em que eu era fraca. Eu sempre errava tudo em Administração Pública e depois que comprei o livro do Paludo, tenho um nível de acerto excelente.

6 – Parei de fazer cursinhos

Acho que cursinho é muito bom somente para quem está iniciando, porque te dá uma direção. Mas vejo que meus estudos rendem absurdamente mais quando eu estudo sozinha. Lembrando que para estudar sozinho você precisa ter um cronograma diário com a matéria e o material que você utilizará. E precisa de foco também! Se você não consegue ter foco para estudar sozinho, então talvez o cursinho te ajude por um tempo determinado. Mas saiba que não será o cursinho que te fará passar. Não use isso como bengala.

Com basicamente esses pontos de outubro de 2012, consegui aprovação no Judiciário em 4 meses. Hoje minha rotina de estudos está bem melhor, porque agora tenho todas as manhãs livres para estudar.
Mas isso a gente conversa em um outro post…

“O segredo do sucesso é a constância do propósito.”

Benjamin Disraeli

Se tiverem experiências, sintam-se à vontade para compartilhar.. Espero que tenham gostado das dicas.

beijos

Share: